quarta-feira, 18 de abril de 2012

Provérbios do mês - Abril


  • A água que no Verão há-de regar, em abril e maio há-de ficar.
  • A geada de março tira o pão do baraço e a de abril nem ao baraço o deixa ir.
  • A sardinha de Abril é vê-la e deixá-la ir.
  • A ti chova todo o ano e a mim abril e Maio.
  • A três de abril o cuco há-de vir e se não vier a oito, está preso ou morto.
  • Abril chove para os homens e maio para as bestas.
  • Abril chuvoso, maio Ventoso, fazem o ano formoso.
  • Abril e maio são as chaves de todo o ano.
  • Abril frio e molhado, enche o celeiro e farta o gado.
  • Abril frio traz pão e vinho.
  • Abril mete a ovelha no covil.
  • Abril molhado, ano abastado.
  • Abril, Abril, está cheio o covil.
  • Abril, abrilete, é o mês do ramalhete.
  • Abril, águas mil, cabem todas num barril.
  • Abril, águas mil, coadas por um funil.
  • Abril, águas mil, quantas mais puderem vir.
  • Abril, ora chora, ora ri.
  • Abril, tempo de cuco, de manhã molhado e à tarde enxuto.
  • Água que no Verão há-de regar, em abril há-de ficar.
  • Águas de abril são moios de milho.
  • Altas ou baixas, em abril vêm a Páscoa.
  • Antes a estopa de abril, que o linho de março.
  • As manhãs de abril são boas de dormir.
  • Aveia até abril está a dormir.
  • Borreguinho de abril, tomaras tu mil.
  • Do grão de rei contai que em abril não há-de estar nascido nem por semear.
  • Do pão te hei-de contar, que em abril não há-de estar nascido, nem por semear.
  • É próprio do mês de abril as águas serem mil.
  • Em abril a natureza ri.
  • Em abril abre a porta à vaca e deixa-a ir.
  • Em abril águas mil que caibam num barril.
  • Em abril águas mil, coadas por um funil.
  • Em abril águas mil, coadas por um mandil.
  • Em abril cada pulga dá mil.
  • Em abril corta um cardo, nascerão mais de mil.
  • Em abril deita-te a dormir.
  • Em abril guarda o teu gado e vai onde tens de ir.
  • Em abril pelos favais vereis o mais.
  • Em abril queijos mil e em maio, três ou quatro.
  • Em abril queimou a velha, o carro e o carril; e uma cambada que ficou, em maio a queimou


    Nenhum comentário:

    Postar um comentário