quarta-feira, 28 de novembro de 2012

História de Portugal XI - O Condado Portucalense

Durante o domínio árabe, o território da Península Ibérica estava integrado na província norte-africana do império Omíada e era denominado por Al-Andalus. Entre (756 a 929) tornou-se um emirado  e posteriormente um califado (929 a 1031). Com a dissolução do califado em 1031, o território dividiu-se em vários reinos e este foi o momento oportuno para o processo de reconquista destes territórios pelos cristãos que estavam refugiados nas Astúrias.
O processo gradual da reconquista cristã originou o nascimento de pequenos reinos na região.

Assim nasceram, os reinos de Astúrias em 718, que foi o primeiro a se libertar do domínio dos mouros (árabes), Leão em 910, Navarra em 778, Aragão e Castela em 850.
Formação dos Reinos Cristãos
 A Reconquista cristã da Península Ibérica estendeu-se entre 718 e 1492 por cavaleiros que buscavam fama, riqueza e a remissão dos pecados prometida pelas bulas papais, nomeadamente:

  1. pelos cruzados que iam a caminho da Palestina;
  2. pelas ordens religiosas e militares implantadas na Península Ibérica;
  3. pelos cavaleiros oriundos de vários pontos da Europa.

Durante a Reconquista Cristã, Afonso VI, o rei de Leão e Castela, foi auxiliado por cruzados franceses, nomeadamente por D. Henrique de Borgonha, filho segundo, à conquista de riqueza . Como recompensa pelos seus serviços, Afonso VI doou-lhe o Condado Portucalense (território situado entre os rios Minho e Mondego) e  a sua filha bastarda, Dª. Teresa, em casamento.

D. Henrique de Borgonha e Dª Teresa
O Conde D. Henrique, estendeu o seu território até ao rio Tejo e desejou tornar o Condado Portucalense num reino independente, mas morreu em 1114 sem conseguir realizar esse desejo.
Nesta data, D. Teresa assumiu o governo do Condado porque o seu filho D. Afonso Henriques era muito novo.
O condado na Península Ibérica


Bandeira do Condado Portucalense

Nenhum comentário:

Postar um comentário